Posts Tagged 'Sofrer'

Coração de Papel – Luíza Possi

“…Porque fazer chorar, porque fazer sofrer…
Um coração que só lhe quer
O amor é lindo eu sei e todo eu lhe dei
Você não quis jogou ao léu
Meu coração que não é de papel..”

Anúncios

Movimento da Cicatrização

O que eu posso, eu não posso como quero!
Eu posso com menos possibilidades.
Se eu não posso modificar a vida, quero deixar que a vida me modifique.
Se eu não posso mudar o acontecimento,
então eu quero que o acontecimento me modifique.
Isso é reconciliar os contrários.
Isso é descobrir a sabedoria da possibilidade.
Não é do jeito que eu quero,
mas vai ser o jeito que pode!
E aí o meu coração se meche assim como o organismo busca forças
para reconciliar a carne e cicatrizar aquele lugar que está ferido.
Todo o meu organismo se meche,
se volta para aquela urgência.
Todo o meu coração se move na tentativa de descobrir o significado para a vida naquele instante.
E se a gente obedece a essa regra da cicatrização do momento,
a gente acorda melhor no outro dia. Sabe porque?
Porque a ferida parou de sangrar um pouco.
Não significa que a dor deixou de existir dentro de nós,
não significa que o problema deixou de existir, não!
Só que há um jeito diferente de lidar com ele agora,
e eu preciso descobrir que em cada momento da minha vida
há uma ferida a ser cicatrizada,
há uma reconciliação a ser realizada.
E essa é a sabedoria do Evangelho.
Abrir os nossos olhos para que, nós possamos descobrir
qual é a necessidade de cicatrizar hoje.
O que dentro de mim, hoje, eu não tenho direito que amanheça amanhã sangrando.
Porque eu preciso cuidar!
Hoje você não tem o direito de ir dormir sem pensar naquilo que você precisa cicatrizar dentro de você.
Mova seu coração, mova os seus sentimentos, mova sua inteligência na direção daquilo que em você precisa ser cicatrizado.
Não amanheça amanhã do mesmo jeito que você amanheceu hoje.
Não permita que a vida aconteça amanhã para você e que ela lhe encontre do mesmo jeito que você estava hoje.
Permita o movimento da cicatrização!
Permita o movimento da reconciliação!

– Pe Fábio de Melo –

::: Seja autêntico, sempre!

Viver em sociedade é um desafio porque às vezes ficamos presos a determinadas normas que nos obrigam a seguir regras limitadoras do nosso ser ou do nosso não-ser…
Quero dizer com isso que nós temos, no mínimo, duas personalidades: a objetiva, que todos ao nosso redor conhece; e a subjetiva… Em alguns momentos, esta se mostra tão misteriosa que se perguntarmos – Quem somos? Não saberemos dizer ao certo!!!
Agora de uma coisa eu tenho certeza: sempre devemos ser autênticos, as pessoas precisam nos aceitar pelo que somos e não pelo que parecemos ser… Aqui reside o eterno conflito da aparência x essência. E você… O que pensa disso?

Que desafio, hein?
“… Nunca sofra por não ser uma coisa ou por sê-la…”

– Clarisse Lispector –

::: Um amor verdadeiro não tem um final feliz, porque um amor verdadeiro não tem fim!

Não confundas o amor com o delírio da posse, que acarreta os piores sofrimentos. Porque, contrariamente à opinião comum, o amor não faz sofrer. O instinto de propriedade, que é o contrário do amor, esse é que faz sofrer. (…) Eu sei assim reconhecer aquele que ama verdadeiramente: é que ele não pode ser prejudicado. O amor verdadeiro começa lá onde não se espera mais nada em troca.

– Antoine de Saint-Exupéry –

::: Viva, mas viva bem…. e ame!!!

Tumblr_lh4sbbyxt41qgnzdpo1_500_large_large

Acho que nasci para sentir. Sempre fui muito intensa, quase exagerada. Ao invés de sangue, tenho drama correndo nas veias!

Apesar dos pesares, das cabeçadas, das muitas mancadas sempre gostei de viver assim. Afinal, melhor me entregar do que puxar o freio de mão.

Por causa da minha forma de viver sempre bati muito com a testa na parede, e sempre doeu (e ainda dói), mas dói de um jeito bonito.

Tem gente que se desilude com as pessoas, se cansam, se decepcionam, se desesperam. Uma coisa é certa: mais cedo ou mais tarde as pessoas vão te decepcionar (e vice-versa). Sua mãe, pai, irmãos, amigos, namorado (a), marido (mulher)… Não importa o motivo, o dia, a hora… a decepção virá, é inevitável! Sabe por quê? Porque isso é coisa de gente! Sentir é coisa de gente! Ferir é coisa de gente!

Mas isso não é um bicho de sete cabeças, é algo para se encarar de forma simples, não perca a esperança.

Tem gente que não acredita mais no amor. Eu, acho bobagem não querer sentir, gostar de fingir. A gente deve sentir o amor e ir fundo no sentimento, mesmo que o amanhã seja incerto, mesmo que a tristeza bata na porta… Pior é resistir!

Desculpe a autoajuda, mas a gente deve transformar as tristezas em lindas melodias, pra poder viver, pra voltar a crer!

Tem gente que tem a capacidade de dizer que depois de determinado tempo tudo vai se perdendo, que o romantismo vai embora, que a admiração faz as malas e se manda, que o tesão morre, que tudo aquilo de bonito que tinha no começo vai se desgastando e terminando…NÃO concordo!! Só morre, se a gente quer. Só se desfaz o encanto se a gente não faz mais o que fazia no começo…

Então FAÇA! O que vale é demonstrar o amor de todas as mais belas maneiras!

Viva bem!!

 – Autor Desconhecido –

 


Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 6.055 outros seguidores

Arquivo de Posts

Categorias

:: Desde 09/2011 ::

  • 370,309 visitas