Posts Tagged 'Dor'

Meu segredo, minha loucura!

  

  

3

Recomeçar

piccing

Mesmo que o hoje te dê um não, lembre-se que há um amanhã melhor.

A certeza de que os nossos caminhos devemos  traçar ao lado de quem nos ama, com amor, paz, confiança e felicidade, é a base para se recomeçar.

Um recomeço, pra pensar no que fazer agora, acreditando em si mesmo, na busca do que será prioridade daqui pra frente.

Planos? Pra que os fizemos, já que o amanhã é mistério? A qualquer momento pode ser tempo, de revisar os conceitos e ações, e concluir, que tudo aquilo que você viveu marcou, porém não foi suficiente pra que continuasse.

As lembranças passadas ficam, tudo que vivemos era pra ser vivido.

O destino é como um livro do qual nós somos os autores, ele não vêm pronto. Antes de nascermos ele está em branco. Ao nascermos introduzimos as primeiras passagens, um começo. Com o tempo, através das escolhas, vamos escrevendo-o  página por página, rabiscadas, rasgadas ou marcadas, onde encontramos  obstáculos, onde indicarão a melhor hora pra recomeçar, nos últimos dias de vida concluiremos, e no final deixamos nossas historias marcadas no coração daqueles, que sempre farão parte de nossa historia, onde quer que estejam.

Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo, é renovar as esperanças na vida e o mais importante, acreditar em você de novo.

 

– Carlos Drummond de Andrade –

 

Existem acontecimentos que não combinam com as palavras. Foram feitos para o silêncio…

Coleccionista de Palabras.

Eu sei que o sofrimento tem visitado o teu coração.
Não tenho muito o que dizer e é bom que seja assim.
Existem acontecimentos que não combinam com as palavras.
Foram feitos para o silêncio.
É neste momento que nós recorremos aos símbolos, às realidades que falam sem precisar dizer.
Trouxe flores…

 – Pe. Padre Fábio de Melo –

Os olhos mentem dia e noite a dor da gente…

Thaise ઇઉ.¸¸.* (_Tha2013) no Twitter

A saudade dos olhos…

Às vezes, tudo o que a gente precisa é matar a saudade dos olhos. Quando já não cabe mais o toque, o tom, a voz. Quando o corpo ainda quer, as mãos ainda sentem e a boca ainda saliva… mas, ainda assim, a razão diz que não. Quando não há música, fotografia, aquela camisa dele que ficou, a lembrança mais doce dos dias de sol… quando nada disso faz desacelerar o coração que bate incansavelmente ao simples recordar… é nessa hora que os olhos sangram. Sim, porque o coração já sangrou faz tempo. A saudade dos olhos é, cima de tudo, pura, casta. É uma vontade incontrolável de apenas ver. Ver de longe, por entre brechas. É, por instantes, sentir de novo. Reviver. A saudade dos olhos talvez seja a saudade da alma, que não precisa de um meio físico pra sanar. Talvez seja apenas energia. Recarga. O que de verdade se sente é um sossegar embriagante. Uma entorpecência eufórica. Os olhos buscam alimento pra alma. A alma parece aquietar-se dentro do corpo. O corpo obedece à razão… mas o coração… ah, esse, involuntariamente, não! Porque o que os olhos veem, o coração, pesarosamente, sente.

– Ana Letícia Brederodes –

 

::: Quantos sentimentos escondemos atrás de um olhar?


Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 6.055 outros seguidores

Arquivo de Posts

Categorias

:: Desde 09/2011 ::

  • 362,286 visitas